HUMILDADE E ORGULHO


A virtude da humildade é, sem sombra de dúvida, a principal virtude cristã, pois só o homem humilde está aberto a aprender e conquistar todas as outras virtudes.

O orgulhoso julga-se possuidor das qualidades que insinuamos precisar crescer e, portanto, torna-se refratário a qualquer crítica positiva.

O humilde, por outro lado, sabe que seu modelo é Jesus Cristo e que está muito longe de atingir esta perfeição. Por isto encara como positiva qualquer crítica que lhe façam. Como dizia uma vez um amigo, “o homem humilde tem a ousadia de mendigar críticas e sugestões”.

Veja só: “mendigar críticas e sugestões”! Será que eu sou uma pessoa capaz de mendigar às pessoas boas que vivem à minha volta críticas e sugestões?

Como distinguir a pessoa humilde da pessoa orgulhosa? Eis aí algumas sugestões:

O homem humilde é um homem que:
– reconhece sinceramente suas qualidades e seus defeitos;
– não exagera suas qualidades;
– sabe que possui qualidades, mas reconhece que o maior mérito de “tê-las” não se deve a si mesmo, mas a Deus. Como dizia S. Paulo: “que tens tu que não tenhas recebido; e se o recebeste, porque te glorias?”
– sabe que se Deus lhe deu talentos, não é para vangloriar-se, mas sim para servir o próximo, etc.

Por outro lado, o homem orgulhoso é um homem que:
– pensa que o que faz ou diz está mais bem feito ou dito do que aquilo que os outros fazem ou dizem;
– quer sempre ter razão;
– discute sem razão ou – quando a tem – insiste com teimosia e de maus modos; é teimoso;
– dá o seu parecer sem que lhe peçam;
– despreza o ponto de vista dos outros;
– cita-se a si mesmo como exemplo nas conversas;
– fala mal de si mesmo, para que lhe contradigam;
– sofre quando os outros são mais estimados do que ele;
– é impaciente (não tem paciência com o defeito dos outros), etc, etc.

Quanto maior é o orgulho, maior é o “ego”. 

Muitas vezes ouvimos dizer de alguma pessoa que tem o ego maior do que o mundo. Eu diria que, de fato, na minha experiência pessoal orientando milhares e milhares de pessoas, há pessoas que realmente são assim.

E qual é o problema de ter um ego muito grande? O problema é que o ego é altamente destruidor. É o ego muito grande que:
– destrói o casamento (quem tem o ego grande, quem é orgulhoso, só quer subir e acabará usando o outro cônjuge como pedestal);
– destrói o amor (o amor é pensar no outro e quem tem o ego grande só pensa em si mesmo);
– destrói a paz (a paz vem da harmonia, do esforço de ceder nas opiniões, e quem tem o ego grande nunca cede nas suas opiniões); etc.

Se o orgulho destrói, a humildade constrói. Busquemos sempre a virtude da humildade e assim serão muitas as “construções de amor” da nossa vida.

 

Pe. Paulo M. Ramalho
Sacerdote ordenado em 1993. Engenheiro Civil formado pela Escola Politécnica da USP, doutor em Filosofia pela Pontificia Università della Santa Croce, capelão do IICS – Instituto Internacional de Ciências Sociais. Atende direção espiritual na Igreja de São Gabriel em São Paulo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s