Deus merece o nosso melhor.


Nos últimos dias tenho travado inúmeras discussões em torno da temática “louvor e adoração” e “ música de qualidade”, com várias pessoas. E nas inúmeras conversas que se seguem, as discussões nos remetem à uma reflexão até saudosista: “já não existem mais cantores como antigamente…” Percebemos que gravar, cantar, muitas pessoas continuam fazendo. Mas, com que qualidade? Deus mudou? Ele já aceita qualquer canção ou louvor? Apresentar um canção ou um louvor no templo, em casa, na rua em qualquer lugar, pode ser considerado um “sacrifício de louvor”. E uma produção musical, não deveria ter este mesmo propósito, chegar ao coração de Deus como um ”sacrifício de louvor”? É bem verdade que o consumidor não está obrigado a levar pra sua casa um produto se assim não o desejar. Até os lojistas deixam seus clientes muito à vontade para escutarem ou visualizarem os produtos expostos nas prateleiras, antes da escolha final. Mas a triste realidade, é que, por muitas vezes, compramos as produções musicais de nossos irmãos, e dela pouco fazemos uso conjuntamente, porque muitas dessas músicas contém algumas letrinhas, contém uma diversidade de sons e intrumentos, mas no final, nos acrescentam pouca coisa ou mesmo nada. Será que não estamos nos esquecendo de Levítico 22:29? Podemos cantar, louvar e adorar sim, de diversas maneiras. No livro de Êxodo capítulo 15:1-21, vemos o cântico de Moisés e sua irmã Miriã , que cheia do Espírito de Deus, disse:”Cantai ao SENHOR, porque sumamente se exaltou e lançou no mar o cavalo e o seu cavaleiro” (v.21), referindo-se ao afogamento de Faraó no Mar Vermelho. No livro dos Salmos 107: 22 lemos ”E ofereçam sacrifícios de louvor e relatem as suas obras com regozijo!”. Poderíamos citar inúmeras referências sobre os cânticos, os louvores e a adoração contidos na Bíblia Sagrada, mas não é este o propósito neste espaço. O objetivo maior é refletirmos sobre o que tem permeado o nosso universo musical e a sua importância, influência e continuidade dentro do contexto do louvor e da adoração ao Único e Verdadeiro Deus. Porém, não poderíamos deixar de mencionar o nosso mui amado Jesus Cristo, que ao encerrar a Santa Ceia com os Seus discípulos também cantou (Mc 14:26), antes de se dirigir ao jardim do Getsêmani , onde exercitou outra forma de adoração: através da oração. Temos também um importante registro no livro dos Atos dos Apóstolos capítulo 16:25-26, quando perto da meia-noite, Paulo e Silas cantavam hinos a Deus e de repente, vindo um grande terremoto, os alicerces dos cárceres se moveram e todos ficaram livres, inclusive os demais presos. Essa bela referência, deveria impactar a todos nós, filhos mui amados de Deus, cantores e adoradores seus, pois para louvá-lo e adorá-lo foi que Ele nos chamou. Sim, Ele nos criou para o louvor da Sua glória! Na carta do Apóstolo Paulo aos Efésios capítulo 5:18-21, lemos orientações quanto ao procedimento de um culto de louvor e adoração ao Senhor: “E não vos embriagues com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito, falando entre vós com salmos, e hinos e cânticos espirituais, cantando e salmodiando ao Senhor no vosso coração, dando sempre graças por tudo a nosso Deus e Pai, em nome de nosso senhor Jesus Cristo, sujeitando-vos uns aos outros no temor de Deus”. Infelizmente, o que temos presenciado é que o nosso Deus e Pai já não tem recebido as mesmas honras e glórias que lhe são devidas… O coração de muitos membros de nossas igrejas parece ter muita coisa, menos motivos para cantar e salmodiar… O verdadeiro louvor e adoração deve ser feito de forma espontânea,numa entrega que envolve espírito, alma e corpo. Esse louvor chega às narinas de Deus como incenso suave e agradável e reverte-se sobre nós em forma de chuvas de bençãos, de poder, de alegria, de milagre, de vitória, de coisas boas, no sentido material e também espiritual! Que possamos refletir no hino de louvor a Deus escrito pelo Apóstolo Paulo aos Romanos no capitulo 11 e versículos 33-36, que diz: “Ó profundidade da riqueza da sabedoria e do conhecimento de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos e inescrutáveis os seus caminhos! Quem conheceu a mente do Senhor? Ou quem foi seu conselheiro? Quem primeiro lhe deu, para que ele o recompense? Pois dele, por ele e para ele são todas as coisas. A ele seja a glória para sempre. Amém. Todos os dias, nosso Deus espera receber o nosso melhor louvor e a nossa melhor adoração. Não nos esquivemos mais! Louvemos e o adoremos pois, constantemente, incessantemente. Ele deseja que assim façamos. Paz e bem

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s