Meu ser abatido, porque ?


Parece que o mundo desabou. Meus conhecidos e familiares não podem me ajudar. Estão perto… porém nenhuma palavra me consola. Assim está minha alma. Angustiada! Quem nunca se sentiu assim? Mas afinal, o que é angústia? Muitos poderiam dar uma resposta bem pessoal e subjetiva a essa pergunta. De modo geral, a angústia é companheira do ser humano, ou seja, é um sentimento que acompanha o homem desde o seu nascimento até a morte em muitas situações da vida; é um sentimento da alma que pode atacar na mesma proporção tanto o rei como o mendigo. É uma emoção que pode se abafada, mas não desligada. O homem natural não pode se desviar nem escapar dela. Na verdade, existiram e existem pessoas de personalidade forte que com sua determinação se posicionam fortemente diante da angústia, mas elas também não conseguem vencê-la totalmente. Podemos ignorar a angústia, mas não escaparemos de situações dolorosas. Ao divagar sobre esse assunto, encontrei um texto de Thomas Paine, pai da Revolução Americana que diz o seguinte: ‘’(…) eu admiro aqueles que conseguem sorrir com os problemas, reunir forças na angústia e ganhar coragem na reflexão. É coisa de pequenas mentes encolher-se, mas aquele cujo coração é firme e cuja consciência aprova sua conduta, perseguirá seus princípios até a morte…’’ Ao refletirmos nessas linhas, perceberemos que a causa principal desse sentimento esta nas características absurdas e malvadas da nossa vida diária que produzem uma cultura, na qual se desenvolvem nossas angústias. A angústia é muito mais profunda do que uma ansiedade. Ela polui a percepção das coisas e das pessoas. A angústia envenena as relações humanas e produz queda na produtividade pessoal. E nesse absurdo, percebemo-nos apavorados porque teimamos e insistimos por nossa miséria, em ficarmos contando apenas com as nossas forças humanas, com os nossos métodos e com os nossos recursos. E quando o pânico e medo tomam conta perdemos o rumo. Sabemos porque isto acontece: por causa da nossa falta de fé ao olhar para nossas misérias e egocentrismo. O que fazer? No salmo 143:11, a alma do salmista estava angustiada: ‘’ vivifica-me ó Senhor, por amor do Teu Nome, por amor da Tua justiça, tira a minha alma da angústia’’. É ao Senhor que o salmista abre o coração pedindo socorro. Ele decidiu que sua angústia seria eliminada se o Senhor o vivificasse, ou seja, ele não encontrou a solução dentro de seus próprios recursos, a solução não está em mim, ela vem do alto, vem desse Ser Superior cuja ação do seu amor em nós desintegra as causas negativas desse sentimento. É nesse contexto, que podemos planejar viver sem angústia e pedir: ‘’Tira a minha alma da angústia…’’ Paz e bem.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s