Empunhe a BANDEIRA DO AMOR.


Sabemos o quanto é dificil, mas não impossivel, só não podemos é ficar de braços cruzados, ou colocando a culpa de todo este desencontro em que vivemos no nosso Pai, mãe, vizinho, escola, trabalho, igreja, etc..queremos sempre eleger um culpado para nossos fracasos, e o maior fracaso que hoje acontece em nossa humanidade, ( se é que podemos chamar de humanidade o que somos e vivemos nos dias de hoje ) porque não começarmos um Ano Novo, não tentando, mas tomando atitudes para que o nosso covivio familar seja melhor, a nossa comunidade seja melhor, o nosso bairro seja melhor, nossa cidade seja melhor, nosso estado seja melhor, e ao terminar de montar este quebra cabeças iremos visualizar e viver um pais melhor. Devem esta perguntando ou divagando a minha inocente utopia, mas é mais simples do que imaginamos. É só levantar a BANDEIRA DO AMOR, nas franteiras de nossos corações, que não mais viveremos estas situações….Se a violência fosse uma pessoa certamente estaria sendo entrevistada em todos os meios de comunicação e sendo alvo da atenção de milhões de pessoas. Nunca se falou tanta em violência e nunca se fez tão pouco para combater este mal tão nefasto e tão contundente como em nossos dias. Os meios de comunicação falam muito sobre ela, e todos os dias registram a sua atuação em todas as camadas sociais. Falar da violência é audiência garantida em todos os meios de comunicação. Este canto diuturno soa como uma balada mórbida e infernal aos ouvidos de uma população desprotegida, carente e só. A violência vive o seu apogeu neste novo século com direito ás primeiras cadeiras no teatro da vida. Ela vem falante e glamourosa, atraindo olhares e holofotes, desfilando na passarela com sua presença sempre marcante. A violência, rainha ou bruxa, está presente nas escolas sentada nas cadeiras, levando ao desespero professores, pais, alunos, diretores e funcionários. Ela se levanta e age em questão de segundos, colocando em polvorosa toda uma cidade e todo um país. É preciso evita-la, é preciso combate-la, é preciso, sobretudo, enfrenta-la! Não adianta dissimular, não adianta ignorar, e nem dizer (como dizem os políticos), que são fatos isolados e estão todos sob controle. Outrossim, não devemos supervalorizar esta “deusa dos tempos modernos”, que hoje é manchete em todos os jornais e presença indispensável na maioria dos programas de televisão. A violência deve ser combatida sempre – de preferência sem muito comentário e sem alarde. Hoje, infelizmente, se faz exatamente o contrário. Certamente há mais pessoas interessadas em comentários e audiência do que propriamente em combater a violência. Daí todas esta importância que hoje se dá a este cancer social. Como conviver com toda esta bateria de informações, muitas vezes desencontradas? Noticias são plantadas para atender a interesses e prender a atenção do telespectador. Programas vespertinos como: Cidade Alerta e Brasil Urgente são especialistas em propagar a violência á caça de mais audiência. Os jornais televisivos também destacam e ampliam a violência através de seus muitos recursos. A violência é alardeada e entronizada por muitos com claro objetivo de impressionar e prender o telespectador e assim faturar alto em cima da desgraça alheia. Até quando a violência vai receber este tratamento e vai continuar posando soberana como se fosse algo natural e familiar? É preciso fechar o quanto antes a indústria da violência e lhe dar o tratamento que ela merece. Com a palavra, os nossos governantes e a sociedade em geral. Paz e bem

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s