Quando oramos com o coração, temos a certeza que nossa oração se concretiza.


Imagem

 

Eu, porém, olharei para o Senhor e esperarei no Deus da minha salvação; o meu Deus me ouvirá. Mq 7.7

O capítulo sete de Miqueias expõe uma situação angustiante do profeta, que, em nome de Deus, faz várias advertências ao povo que não se arrepende dos erros.

O profeta chega a exagerar a sua nota de repugnância contra a nação quando diz: “Pereceu da terra o piedoso, e não há entre os homens um que seja reto; todos espreitam para derramarem sangue; cada um caça a seu irmão com rede. As suas mãos estão sobre o mal e o fazem diligentemente; o príncipe exige condenação, o juiz aceita suborno, a grande fala dos maus desejos de sua alma, e, assim, todos eles juntamente urdem a trama. O melhor deles é como um espinheiro; o mais reto é pior do que uma sebe de espinhos”. Mq 7.2-4 […].

O certo é que o profeta pregou contra esses comportamentos inadequados, mas nada mudou; então ele olha para si e desabafa; “Eu, porém, olharei para o Senhor e esperarei no Deus da minha salvação; o meu Deus me ouvirá. ”

Desabafo ou oração? Se olharmos para o ministério do profeta, realizado em nome de Deus sem ver resultado positivo (resultado esse esperado por todo pregador da palavra), podemos imaginar que ele fez um desabafo mais ou menos assim: “Eu fiz o que pude, o povo vai ser punido porque quer, porque não quis ouvir a Palavra de Deus. Fiz minha parte”.

Quando vejo o texto como uma oração após a cansativa jornada sem sucesso visível aos olhos humanos, encontro profundo discernimento do profeta entre sua missão e sua segurança em Deus. Ele entende que de sua parte a missão está cumprida e o resultado pertence a Deus, daí sua oração: “Eu, porém, olharei para o Senhor e esperarei no Deus da minha salvação; o meu Deus me ouvirá.”

Que lições podemos extrair dessa oração?

Os resultados que almejamos e não acontecem não podem tirar a nossa intimidade com Deus.

Miqueias tem pronto relacionamento com Ele e fixa seu olhar de esperança no Soberano Pai.

Outro ponto elogiável em Miqueias é sua pronta declaração de esperança na misericórdia salvadora de Deus. Ele crê que o Deus gracioso consegue diferenciar o certo do errado, então ele pode esperar no Deus da sua salvação. Outra virtude de Miqueias está em saber que Deus o ouve. Ele não corre de imediato atrás do psicólogo. Ele apresenta sua frustração ao Deus que ouve e tem todo tempo para ouvir os angustiados sem culpas. Digo sem culpa porque o lamento dele era porque o povo não se arrependeu, e não porque ele não pregou a Palavra. Ele fez a parte dele.

O nosso tempo é de correria. Algumas pessoas carregam grande carga de idoneidade e outras não estão preocupadas com essa qualidade. A proclamação profética é desprezada por boa parte da sociedade, e a abominação é aprazível a um grande número de pessoas.

Quem tem a mesma preocupação de Miqueias deve também ter a mesma postura nas angústias por falta de resultados favoráveis e visíveis. Deve orar sabendo que Deus está pronto para ouvir o desabafo de um homem ou mulher de Deus em oração.

 

Paz e bem

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s